RAÇAS CANINAS
Yorkshire Terrier

   

Yorkshire Terrier, também chamada york e yorkie, é uma raça canina de pequeno porte do grupo dos terriers. De acordo com a Federação Cinológica Internacional, é a raça de padrão 86, inserida no grupo 3, pertencente a seção 4. Inicialmente criada para ser rateira, seus criadores perceberam de cedo o potencial para uma bem sucedida raça de companhia. Após cruzamentos específicos, o padrão de tamanho, beleza e comportamento foi atingido, o que o tornou um animal popular em poucos anos. Seu físico é descrito como diminuto e proporcional, de pelagem macia, lisa e comprida, o que lembra o cabelo humano. Sua coloração é difícil de ser obtida, o que o torna ainda mais interessante. Sua personalidade, descrita por alguns como grande para seu tamanho, é classificada como destemida, carinhosa, afetuosa, versátil e independente, o que atraiu a atenção dos lares do mundo inteiro, fazendo do yorkshire o cão miniatura mais popular de todos. Inteligente, é também o número 1no grupo dos terriers em lista elaborada, que divide a inteligência canina em ranking.

A busca pelo animal perfeito gerou problemas específicos para a saúde dos exemplares modernos, bem como características psicológicas negativas e termos inexistentes, que prejudicam o bom desenvolvimento de certos indivíduos, além dos problemas de saúde comuns a todos os caninos. Presente na cultura humana desde o seu surgimento como raça canina, foi o cão favorito na Inglaterra, o primeiro campeão nos Estados Unidos em exibição de raças, o preferido no Brasil por seguidos 10 anos. O menor de todos os terries, tem como destacados exemplares um campeão de pistas e uma soldado da Segunda Guerra Mundial.

Longevidade . Este canino vive uma média variável entre 12 e 15 anos, o que, se comparado a cães maiores, é mais longa. Yorkshires de idade avançada tendem a sofrer com doenças, dores e alterações comportamentais. Por essa razão, é importante dar atenção às mudanças da idade para suprir as novas necessidades. Entre os principais males que podem acometer os idosos yorkshires estão o nervosismo, a ceratoconjuntivite seca e os problemas ósseos, além de doenças e problemas comuns as demais raças, como o mal de Alzheimer e a depressão, a perda de tonicidade cardíaca e da flexibilidade articular. Fora isso, a visão e a audição prejudicadas, a quietude e o esbranquiçamentos da pelagem são fatores do envelhecimento descritos como normais.

Alimentação e pelagem . O yorkshire é um onívoro como os demais cães e é capaz de comer o mesmo que os seres humanos, exceto por doces e chocolates, que podem lhe causar diabetes, obesidade e até mesmo o levar ao óbito. Contudo, por ser um animal de companhia e visivelmente frágil, é recomendada apenas a alimentação feita com ração seca, que supre todas as suas necessidades. Como canino de pequeno porte e reconhecidamente ativo, em geral, os yorkshires necessitam de 210-240 kcal diárias. Fazem parte de sua dieta básica as proteínas e a gordura, que contem aminoácidos essenciais e ácidos graxos, além de proporcionarem o transporte de vitaminas lipossolúveis, como as A, D, E e K. Especificamente para estes diminutos animais, está a necessidade superior de cálcio, devido a fragilidade advinda do tamanho de seus ossos. Já os cuidados com a pelagem vão desde o asseio ao grooming (escovação). Alguns exemplares são mais facilmente manuseados e penteados que outros, devido a suas diferentes personalidades comportamentais e pelagem, umas mais ralas e curtas que outras. Seu corpo deve ser escovado para permitir que a pele respire e para manter o animal saudável, já que durante a escovação retira-se galhos e busca-se por insetos, checa-se as orelhas e trata-se os olhos. Os banhos são sugeridos como semanais, já que a escovação os mantém limpos. Seu pelo pode secar ao vento, mas é aconselhado o uso de um secador, para que realmente seque até a raíz e impeça a proliferação de bactérias.

Doenças . Após anos de cruzamentos seletivos artificiais para se estabelecerem padrões de comportamento e físicos, algumas marcas negativas foram geradas sobre os exemplares mais modernos, sendo todos comuns a esta raça e hereditários. Em decorrência de corpo pequeno e ossatura proporcional, muitos de seus problemas são ósseos e articulares. Os ossos de suas patas, por exemplo, podem quebrar-se após um salto ou uma queda. Hérnias são vistas como algo gravemente debilitante. Entre os problemas que afetam sua dentição está o tártaro, que causa queda e quebras de dentes em exemplares jovens. Outras doenças relacionadas a esta raça são o fechamento tardio da moleira, a dentição dupla, a luxação da patela, a necrose asséptica, a ceratoconjutivite seca, a hidrocefalia, o prognatismo e o retrognatismo. O fechamento tardio da moleira é um risco muito grande para um yorkie, pois qualquer queda pequena ou até mesmo uma pancada acidentais podem ser fatais.

A luxação da patela ocorre muito nos exemplares que apreciam saltar, o que causa o deslizamento lateral dos ligamentos fixados à patela. A necrose asséptica ocorre quando o osso perde a sua vascularização e morre. Já a ceratoconjutivitie seca é a prejudicada produção de lágrimas. Recente descoberta, os genes azul e vermelho tem acometido diversos exemplares desta raça como conseqüência de acasalamentos errôneos. Pouco ainda se sabe sobre o assunto, mas os nascidos com o gene azul não desenvolvem vasta pelagem e os com gene vermelho possuem pelos avermelhados desde filhote. Característica comum aos mamíferos, os yorks também podem sofrer permanentemente com determinadas lesões.

Uma lesão sofrida nos nervos periféricos não se regenera. Caso essas fibras lesionem-se, não se regenerarão, o que resultará em inatividade permanente de seu músculo. Para além, também podem desenvolver doenças transmissíveis aos seres humanos, como dermatofitoses, intoxicações por salmonella, leptospirose e raiva. No entanto, essas efermidades são controladas por meio de vacinação, tratamentos e tratos higiênicos. Doenças descritas como mais sérias, como a cinomose e a parvovirose, caso não sejam diagnosticadas no princípio, dificilmente são curadas. Pulgas e carrapatos são incômodos e podem também gerar doenças. Depressão e estresse são fatores psicológicos que também podem afetar esta raça.

 
2007-2013 © Fórmula Foods Alimentos Ltda - Todos os direitos reservados - Criado por DRW Integrada